Prurido no idoso

 

Prurido no Idoso (coçeira)

O prurido crônico (com duração maior que 6 semanas) é um sintoma extremamente comum na população idosa. A prevalência do prurido aumenta com a idade, sendo que nos pacientes maiores que 85 anos a prevalência é ainda maior. São vários os fatores que fazem com que os idosos sejam mais suscetíveis ao prurido. Dentre essas alterações podemos destacar:

  • O afinamento e a fragilidade da pele com o passar dos anos, devido a diminuição considerável da espessura da epiderme e da derme, além da diminuição da quantidade e quialidade das fibras colágenas. Essas alterações são mais prevalentes nas áreas expostas cronicamente a radiação UV solar.
  • Diminuição da circulação cutânea, que aliado a menor espessura da pele faz com que substâncias nela aplicadas tenham maior penetração, maior absorção e menor depuração.
  • Maior número de rachaduras cutâneas devido ao achatamento dermo-epidérmico e menor síntese de colágeno
  • A pele seca no idoso é resultado principalmente da diminuição da camada lipídica do estrato córneo e da diminuição da função das glândulas sebáceas e sudoríparas.

Dentre as principais causas do prurido no idoso, podemos destacas as alterações hormonais, as doenças sistêmicas (ex.: anemia, leucemia, hepatite B e C, hipo ou hipertireoidismo, dentre outras), o uso de múltiplas drogas (medicamentos como alguns antihipertensivos, hipoglicemiantes, anticonvulsivantes, dentre outros) e os hábitos inadequados que contribuem para a perda hídrica e menor quantidade de água na pele, tornando-a ainda mais predisposta ao prurido. Pele seca é pele desprotegida e é pele que coça!!!

O tratamento do prurido tem como alvo sua causa subjacente e envolve uma série de medidas, sendo a principal delas resumindo-se em uma boa hidratação cutânea com o creme ou loção indicados pelo médico dermatologista. Quanfo a origem é alguma doença sistêmica, o alívio do prurido ocorre quando a doença subjacente é tratada. Em quadros muito extensos, pode utilizar por curtos períodos, corticóides tópicos de média potência. O uso de antialérgicos são fundamentais quando bem indicados. Evitar banhos muito quentes e uso excessivo de sabonetes é uma medida muito importante e pouco seguida pelos portadores da doença. Uma nova geração de sabonetes conhecidos como Synthetic detergents são menos adstrigentes e possuem a capacidade de preservar o pH da pele em torno de 5,5, ressecando menos a pele.

Orientar o paciente a não coçar, quebrando o ciclo prurido-coçadura-prurido é fundamental, com o objetivo de quebrar o ciclo vicioso existente.

O uso de corticóides sistêmicos esta indicado apenas nos casos severos de urticária e reação aguda a droga.

A fototerapia com UVB esta indicada em pacientes com prurido crônico de difícil controle, devendo ser evitada naqueles com predisposição a câncer de pele.

Muitas vezes, medidas gerais não aliviam o prurido e se torna necessário empregar drogas sistêmicas moduladoras do sistema nervoso central ou periférico, porém é importante avaliar com cautela suas possíveis interações medicamentos e efeitos colaterais antes do início deste tratamento. A terapia multidiciplinar com geriatras e psiquiatras aumentam a chance do sucesso terapêutico.

 

Dra. Juliana Tepedino


Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Centenas de templates
  • Todo em português

Este site foi criado com Webnode. Crie um grátis para você também!